terça-feira, abril 30, 2013

Vamos ver no que vai dar!!!

Faz muito tempo que não passo por aqui não é? Quase um ano sem postar nada sobre moda, dança, minha vida ou qualquer outra sorte de bobagens que venha a ocupar a minha mente.
Acho que precisava mesmo desse de silêncio virtual para organizar mais as minhas ideias e agrupar meus sonhos e desejos, e canalizar as minhas forças para a realização deles.

Nesse período muita gente entrou e saiu da minha vida, teve gente que ficou, que criei um laço tão forte e que me sinto até parte. Conheci lugares dentro do meu ser que nunca pensei que existissem e isso assustou um pouco.

Agora o tempo volta a me ajudar e o encantamento por várias coisas voltaram a aparecer.

Vamos ver no que vai dar!!!!

 

domingo, julho 22, 2012

CUBOS COMPANHIA DE DANÇA

Galera, como vocês sabem, sou apaixonado por dança e vivo dela, gosto tanto que criei há 05 anos da Cubos Companhia de Dança aqui em Aracaju.
Infelizmente estamos passando por problemas financeiros para concluir o nosso novo espetáculo.
Para sanar nossos problemas criamos o Projeto CUBOS CON-VIDA, onde convidamos amigos para apresentar seus trabalhos em nossa sede e cobramos o valor de R$10,00 (preço único) para assistir 03 trabalhos diferentes durante algumas noites de sábado.

No dia 28 de julho receberemos 02 grandes amigos:
GRUPO CAIXA CÊNICA - Duas Histórias de Amor
RAQUEL LEÃO - Projeto Solo

Estes dois trabalhos dividiram a noite com a CUBOS COMPANHIA DE DANÇA que apresentará um trecho do novo espetáculo "Particular".

Além deste projeto que esta sendo uma delícia realizar, pois nos possibilita a troca de experiências com outros artistas e um bate-papo com o público, a Cubos criou uma Vakinha Virtual, onde todos podem contribuir com o valor mínimo de R$5,00.

Para Contribuir é só clicar na Vakinha.








quarta-feira, junho 27, 2012

Use Freaks!!!

Faz muito tempo que eu não escrevo sobre moda não é?

É que ando ocupado com outras coisas e acabei me desligando do mundo fashion, mas aos poucos as coisas estão entrando nos eixos e graças ao meu bom Deus estou com um tempinho mais livre para saborear as coisas novas.
Vou ser bem sincero, ultimamente a última coisa que estou seguindo é a moda, devido a uma promessa, fiquei sem comprar roupas durante 01 ano em uma loja daqui de Aracaju, nada contra a loja, pelo contrário, adoro todo mundo lá e sempre que posso passo por lá pra dar um “oi” pra galera e conferir o que está nos cabides, mas sempre com a mão pra trás (não posso pegar em nada, senão eu levo).
O fato é que gastei muito em 2010 e em 2011 realizei um sonho de trabalho, ou seja, muito investimento, pouca grana pra comprar.
Passei esses meses todos ganhando presentes e comprando coisinhas mínimas e necessárias, sem luxos ou extravagâncias.
Mais hoje voltando a falar um pouquinho sobre moda, quero contar pra vocês sobre uma loja nova que abriu Aquino Shopping Jardins. A Freaks!!!

Conhecendo a Freaks

“Freaks, a marca, tem como objetivo ser a número um no mercado onde atua: segmento de moda inteligente e descolada. Mais que roupas, mais que estampas. É atitude. É orgulho de assumir seu freak interior e ter coragem de estampar no peito a sua visão do mundo. Essa atitude é facilmente reconhecida nos nossos pontos de venda através do design criativo e da interatividade. Além das criações exclusivas, com temáticas diversas e edições limitadas, garantindo que sempre haverá um ar de novidade nas lojas. A marca é reconhecida pela criatividade em todos os momentos – do primeiro contato com o produto à pós-venda."
"A loja vende, além da marca própria, os produtos das marcas: Coca-Cola Shoes, Desconexo, Vish!, Vishi Maria, Skullcandy e Budha Khe Rhi. As categorias dos nossos produtos são: Sports (estampas com temática esportiva); Blah (frases); Movies (filmes, personagens e personalidades do cinema); Music (instrumentos, bandas, personalidades da música); Pop (celebridades, ícones da cultura pop, vídeo-games, carros, etc); Cult (do folclore à literatura) e Kids (temáticas infantis)."
E a Freaks em Aracaju não poderia ser diferente, né? Com diversas camisetas para todas as idades e estampas lindas e criativas, além de acessórios e calçados.
Em breve chegaram outros produtos Freaks pra gente curtir bastante.



 Quer saber mais sobre a Freaks?

terça-feira, junho 19, 2012

Nuvens


A sensação de andar por cima das nuvens, a leveza do branco e a intensidade do azul, levam o meu corpo a querer espaço, espaço para praticar tal leveza.
O balanço quase suave do avião me apresenta uma coreografia simples, limpa e plena. Sutis enlaces de nuvens brancas, cinzas e cheias.
O sol invade a janela da aeronave e ilumina meus traços rápidos e sinuosos de escrita frenética.
Os raios coloridos de nuvens e sol para encerrar uma temporada de afirmações pessoais, profissionais e estéticas.

quinta-feira, junho 14, 2012

O Doce Sabor do Reencontro


Era uma terça-feira de junho, daquelas com chuva fina. Era noite, uma noite de amor, de corpos unidos com a exatidão de dois apaixonados.
O meu corpo tremia de ansiedade. Naquela noite me senti completo, cheio e certo daquele momento. Parafraseando o Sandro Borelli, ali estava “eu em ti”.
Nunca havia sentido tamanha satisfação, prazer e carinho, sem contar na vontade única de ter seu corpo colado no meu.
Fomos embora às pressas, literalmente voando, mas com os corpos ligados. Trocamos juras, olhares e pedaços de pano para amenizar a dor de nossa primeira separação corporal.

Cada noite era uma tortura, te ver por fotografia virou rotina, seu cheiro naquele pedaço de pano aumentava sua ausência e o frio do quarto gritava pelo seu nome.

O tempo foi passando e a vontade “saudadosa” de te ver, deu lugar à ansiedade do reencontro. Fiquei nervoso e feliz, parecia o nosso primeiro encontro, e finalmente aconteceu. Foi exatamente do jeito que deveria ser, mas nunca pensei que seria assim tão forte.
Aquele abraço me arrancou o ar, as palavras e me tirou do chão, mas me devolveu o doce sabor do reencontro.



Rodolpho Sandes 





quarta-feira, março 14, 2012

DES(APEGO)PEDIDA

E chega um determinado momento na vida das pessoas que a despedida é necessária, a todo o momento somos acometidos pela passagem da despedida, o até logo, até breve, até um dia, ou o simples “a gente se vê por ai”.

O que mais me preocupa não é a despedida, é o desapego, esse sim é cruel e dói muito mais. A despedida é o momento, ali, na hora, naquele exato momento, mas o desapego é aquele que fica, que demora a sair e muitas vezes faz corpo mole para ir embora.

O desapego acontece aos poucos, de mansinho. É como uma agulha de soro que entra em seu corpo sem pedir licença e dilacera aquele lugar, perfura a pele e se aloja no lugar mais íntimo do seu ser, suas veias. Ali, justamente ali onde corre aquilo que te sustenta, aquilo que te mantém vivo. O desapego vai direto no seu sangue, liquido vermelho que carrega seu ser, suas marcas, seus códigos.

O desapego deveria se chamar de renovação sanguínea, afinal, você retira aquilo que é seu para colocar algo novo ali e trazer a renovação. Ai vem a dúvida, essa renovação de plaquetas irá fazer bem ao meu organismo?
Não sei se fará bem, só sei que é mais um passo para o desapego, que dói não vou mentir, mas é necessário!

domingo, janeiro 29, 2012

Prenderam a Rita

A noite era de muita expectativa para o último show da Roqueira Diva, Rita Lee. Ela anunciou dias atrás com muita comoção que último show da sua carreira seria em Aracaju, cidade onde ela já se apresentou inúmeras vezes e com grande público. Até ai tudo bem, se espera uma verdadeira romaria para assistir ao show.

Vamos lá, amigos no carro, partimos para a Barra dos Coqueiros, local do show. Engarrafamento, normal, uma massa se deslocando para o mesmo lugar, nada de estresse, muitas pessoas já estavam no local. Primeiro estranhamento, cobraram R$20,00 para estacionar o carro em um local público, demarcado com uma faixa de contenção, vale ressaltar que o cara tinha um crachá do evento, quando questionado sobre o valor alto e com uma comparação de “no pré-caju cobraram R$5,00, meu querido”, ouço o seguinte texto: “Então volta e estaciona no pré-caju” , a minha vontade foi de passar com o carro por cima dele, mais isso foi coisa que passou bem rápida pela cabeça e foi embora em “milionésimos de segundos.”

Após a saga para estacionar o carro, caminhamos até a arena. Durante o trajeto achei muito estranho a forma como os policiais estavam trabalhando, cara fechada, passando em alta-velocidade pelos pedestres e fazendo muito barulho. Quando passamos entramos na rua que dava acesso ao local do show, um morador queria passar com sua moto pela “barricada” que a polícia montou, para guardar sua moto em casa, os policiais deixaram? Não mesmo, foi um bate-boca danado, até o coitado provar que morava a duas casas da barricada.

Passado esse estresse e sem nenhuma revista, fomos caminhando pela rua, desviando de bêbados, carros com alto-falantes em sua potencia máxima tocando aquele tipo de música gostosa, que não sai do ouvido e monossilábica “sim, sim, sim, sim, não, não, não, não”.

Chegamos à arena do show, vamos comer? Tudo lotado, poucos lugares para comer aquele simples hot-dog, e donos de trailers bastante estressados. Até agora não tinha mais visto policiais no meio da multidão. Rita Lee começa o show, sem nenhum tipo de anuncio, ao menos não ouvi nada.

O ambiente estava tranqüilo, bem familiar, casais e grupos de amigos curtindo aquele que seria um show marcante para o Verão Sergipe. Após 15 minutos de show, a Diva pára tudo e pede que policiais “tenham calma com a molecada, eles só estão fumando um baseadinho”. Os policiais não gostaram, e continuaram com a cena de selvageria contra os fãs da cantora. Não estou defendendo o uso das drogas, só acho que violência não era a melhor maneira para interromper o uso do cigarro.

Voltamos ao show, ela canta seus grandes sucessos e daqui a pouco olha a baixaria outra vez. Desta vem à cantora de 67 anos pára o show por mais de 15 minutos, os integrantes da banda pegam celulares, Ipad e outras tecnologias para filmarem as ações dos policiais, que estavam passando pelo público batendo, para abrirem espaço. Vale ressaltar que ninguém estava a salvo, mulheres, criança e até idosos que curtiam o show, foram agredidos por “esses caras da proteção”.

Fiquei bastante assustado com os fatos e como a polícia sergipana quis resolver o assunto não resolvido do Pré-caju.

Após Rita Lee criticar a ação policial e se exceder nas suas reclamações, os chamando de “cavalos”, “cachorros” e “filhos da puta”, o show volta e os policiais se retiraram da arena, todos os policiais. A arena ficou desprotegida. Terminou o show, e a Rita Lee foi levada a delegacia para prestar depoimento.

O pior disso tudo foram às declarações do nosso governador Marcelo Déda: disse ter testemunhado "um espetáculo deprimente" por parte de Rita. "A polícia não tinha feito nenhum tipo de ação que justificasse [a atitude da cantora]", declarou. (UOL.com.br)


Lógico que ele não viu, estava no camarote oficial, conversando e bebendo um pouco né? Quero ver ele no meio do povão, discreto, levando cacetada daqueles que deveriam proteger.

É uma pena que isto tenha acontecido numa noite tão linda. Famílias inteiras foram embora com a certeza de que eventos como este, seus filhos não poderão mais participar. Os artistas? Que venham, recebam seus cachês e façam a cara lisa de dizer que a cidade é linda e pronto.