quinta-feira, abril 29, 2010

Notas e rodapés

É uma pena que numa cidade em grande desenvolvimento como Aracaju ainda seja pautada por pessoas com pouca ou nenhuma vontade de vê-la crescer, principalmente nas artes.
Fico surpreso quando vejo uma matéria sobre dança, teatro, circo, música em sites, portais e jornais da capital.
Esta semana esta acontecendo a IV Semana Sergipana de Dança, importantíssimo evento para a dança sergipana. Foi através desta mostra pouco descrita pelo jornalismo local (salve exceções), que grupos surgiram e mantém um repertório, uma linguagem. Conseguiram desenvolver uma linha de raciocínio para seus espetáculos.
Fatos
Há alguns dias atrás passei por uma grande decepção com uma jornalista. Mandei o release e fotos para a divulgação de um evento que estava realizando. Sempre fui bem recebido por este meio de comunicação e até estranhei a matéria não ter sido colocada. Quando liguei para a tal jornalista recebi a seguinte resposta: “Neste momento seu evento não é a nossa prioridade!”, ou seja, o que se faz nesta cidade pouco importa para ela. Para deixar mais claro o que eu quero dizer, cerca de 01 mês existe uma matéria neste local, coisa que já passou faz tempo, outra matéria também ainda em circulação, que foi no inicio do mês, ainda está lá.
E a semana de dança fica como? Passou 03 dias em circulação e saiu do ar. Hoje acontece o 3º dia desta amostra e nada. Nada é dito, falado, balbuciado neste meio de comunicação.

E a semana de dança fica como? Passou 03 dias em circulação e saiu do ar. Hoje acontece o 3º dia desta amostra e nada. Nada é dito, falado, balbuciado neste meio de comunicação.

Mas não é só desse meio que falo. Nos jornais onde estão as matérias de capa nos seus cadernos de cultura? A dança sergipana, ou melhor, o artista sergipano esta cada vez mais forte e conhecido fora do Estado. É muito mais respeitado lá do que aqui.

Ás vezes eu sinto que a divulgação do artista sergipano é para os jornais uma ação social, um criança esperança, e não é bem assim. Os artistas sergipanos são competentes, idealizadores de ação e correm muito atrás para ter o que mais gosta, o público.


É uma grande pena que parte da imprensa sergipana tenha ainda que voltar a estudar, para não escrever errado (inadmissível em um periódico), tenha que conhecer quem fazer a arte e a cultura no Estado para dar a devida importância para estes que hoje são notas e rodapés.

5 comentários:

Léo Santolli * disse...

Lacrou com um zíper da Dior.

ALAN ADI hoje disse...

Camarada; horrível e lamentável ouvir que a semana de dança não é prioridade para certos veículos.
Mas acho que vale a pena ressaltar que há pessoas que mantém o respeito para com nossas artes há tempos, é o caso da empenhada Suyene que fez uma linda matéria no JC sobre o evento, capa de caderno por sinal (24/04).
É sempre bom saber quem respalda nossa valorosa labuta: a essas minha prioridade sempre!
Forte abraço.

Rodolphosandes86 disse...

Não só a Semana de Dança, mas como outros eventos de dança, teatro e música de nossa cidade. Concordo com você sobre Suyene do JC. Ela sempre apoiou e continua apoiando todos que chegam a ela. Um exemplo de profissional.

Natália Vasconcellos disse...

Veja bem, Rodolpho...
Não querendo defender a imprensa sergipana, que tem muitos defeitos (não vou, aqui, entrar em detalhes), mas tentando explicar a situação que lhe ocorreu.

No jornalismo existe sim prioridade. Esta prioridade depende da política editorial do veículo, dos princícios do jornalista responsável e dos seus editores etc etc. Então isso que aconteceu com você, essa resposta que você recebeu é muito comum, e isso é chamado sim de jornalismo, que, apesar de toda sua trajetória e de suas teorias, é uma atividade de censura. Não aquela censura que exclui, e sim a censura que seleciona (mais uma vez, de acordo com aquelas variáveis descritas acima). Foi o caso.
Por isso, não cabe a questão se é ou não relevante publicar sobre a SSD. Na minha opinião é, só que isso varia.
Além de que há outra questão latente aí: release não é para ser publicado. É fonte de informação das mais primárias. O que ocorre é que, no jornalismo atual, a publicação de releases é um dos principais males. Isso acaba por acomodar e acostumar mal os dois lados, o da fonte e o do comunicador.

Ok?!
Quando o acontecimento se tornar relevante para eles, com detectada visibilidade no seu público-alvo, virará notícia nesse veívulo de comunicação.

Rodolphosandes86 disse...

Oi Nati, a questão é sobre a SSD, mas outros eventos como já falei antes. Sei q o jornalismo é uma censura que seleciona, mas acho que antes de dizer que nã tem espaço ou que não é prioridade, deveria limpar seu portal que está cheio de noticias passadas e que ninguém mais ler e dá oportunidade para quem quer fazer noticia. Omais engraçado disso tudo é as pessoas que dizem que não é prioridade certas matérias,dizem também que quase nada acontece no meio artístico.
Contraditório não acha?