domingo, fevereiro 28, 2010

Nine

Cartaz do Filme
Hoje fui assistir ao filme "Nine" dirigido por Rob Marshall e roteiro de Michael Tolkin e Anthony Minghella.
"Nine" é baseado no musical homônimo da Broadway premiado pelo Tony.

Gostei muito do filme, sua fotografia é belíssima, fiquei com vontade de ter todas as fotos na minha casa. O Elenco é estrelado com Daniel Day-Lewis (protagonista), a musa de Almodóvar, Penélope Cruz (amante), Marion Cotillard (esposa), Nicole Kidman (estrela para filme), Judi Dench (figurinista e amiga do protagonista), Kate Hudson (repórte da Vogue), Sophia Loren (mãe) e Fergie (prostituta).

De todo o elenco me surpreendi com Penélope Cruz fazendo uma dança digna de cabaré perdido, e com Fergie cantando, dançando e atuando muitíssimo bem.
Uma das melhores cenas para mim foi a de Fergie, quando revela uma passagem na vida do "Guido" (personagem central da trama), mostrando um encontro com uma prostituta. A música envolve e a coreografia chama bastante atenção. Pena que esta cena me trouxe uma lembrança de outro filme que leva a assinatura do Rob Marshall, "Chicago" (também adaptado de uma musical da Broadway). Falo especificamente de uma cena repleta de bailarinas (Cell Block Tango) do filme "Chicago". A luz era muito parecida, a distribuição do elenco na cena e até o clima me lembraram esta cena.
Fiquei pensando no seguinte: se pessoas como Rob Marshall podem até que sem querer reproduzir uma estética em cenas muito parecidas, porque eu não posso?

"Nine" é um filme muito bom, com uma trama muito boa. É o tipo de filme para se ter em casa e assistir sempre, pois sua fotografia, trilha e personagens nos fazem refletir sobre tudo que nos fez ser o que somos hoje, o que acontece a nossa volta, nosso comportamento e nossas crenças.

2 comentários:

Anônimo disse...

Pois é... eu cheguei ao cinema esperando mais do filme, mas vale muito a pena mesmo.
E quanto à cena parecida... a Arte é feita de inspirações, de lembranças que estão na nossa cabeça e afinal, nada se cria, tudo se "copia".

Te amo.

Isabele Ribeiro disse...

Pois é... eu cheguei ao cinema esperando mais do filme, mas vale muito a pena mesmo.
E quanto à cena parecida... a Arte é feita de inspirações, de lembranças que estão na nossa cabeça e afinal, nada se cria, tudo se "copia".