quinta-feira, abril 30, 2009

Nananinanão

Não...
Não...
Não...
Essa palavra monossilábica era ouvida frequentemente por mim. Era sempre usada para negar alguma ideia, sugestão, até mesmo um ato de altrista.
Fiquei com essa monossílaba na minhacabeça por muito tempo, até que chegou o dia em que ele veio a tona junto com um sonho. Foram mais alguns "nãos" até que que um grande sim, sem a menor expectativa surgiu. Sorriso com o sim? Vários, e até agora ele insiste em permanecer no meu rosto.

Esse grande sim, veio seguido de olhos. Olhos grande e arregalados. Olhos bem diretos e cheios de malícias, de desejo pelo que é do outro, cheio de pedidos...

Será que seria a minha hora de dizer não? Fico pensando que sim, mas alguns jovens mais experientes que eu, dizem para ter calma, ser político, diplomata mas, na atual conjutura que a minha vida se encontra, chegou a minha hora de dizer não.

Não falar por falar, ou por simplesmente vingança (coisa que não aprecio), mas por uma questão de amadurecimento pessoal e profissional, saber o quanto é valioso aquilo que construi com os "nãos" oferecidos em cada esquina, em cada sonho.

Sei que isto pode desencadear alguns problemas futuros, mas a razão pela qual estou escrevendo aqui, é justamente um "não".

Mais complexo que abrir porta de geladeira

Um comentário:

Flor & Vida disse...

Olá. Adoreio seu blog. Amei o post.
Acredito na idéia de que a gente só entende e aceita po sim quando de fato entendemos o não! Ou nãos.
Encontrei vc no blog dos Sandes.
Abraço,
Nil.